ANO: 25 | Nº: 6280
11/02/2019 Cidade

Levantamento definirá custos da tarifa da Coopersul

Foto: Tiago Rolim de Moura

Entidade passa a permissionária a partir de março
Entidade passa a permissionária a partir de março

Uma reunião entre membros da Federação das Cooperativas de Eletrificação do Estado e representantes da Cooperativa Regional de Eletrificação Rural Fronteira Sul Ltda. (Coopersul) debateu, na semana que passou, a estrutura tarifária da entidade da Campanha gaúcha, que se tornou permissionária em dezembro do ano passado. A estimativa, segundo a assessoria de comunicação da Coopersul, é de que o valor cobrado, na atualidade, tenha uma redução de 20% a 25% no valor do quilowatt.

Conforme repassado à reportagem do Minuano, a nova tarifa deve entrar em vigor em março deste ano. Atualmente, a Coopersul trabalha como distribuidora da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) e tem seus reajustes de energia vinculados à estatal. Com a mudança, os preços serão ajustados diretamente junto à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Segundo o assessor de imprensa da Coopersul, Sivaldo Souza, é necessário aguardar a publicação, no Diário Oficial, pela Aneel, das tarifas e outros itens em fase de acerto. Ele explica que o sistema é idêntico ao da CEEE.

Souza relata que já foi contratada uma empresa, de Porto Alegre, para realizar um levantamento do perfil dos clientes, para levar para a Aneel, e, desse modo, demonstrar que este consumidor é diferente dos clientes de concessionárias. Com isso, segundo ele, será possível ajustar adequadamente as tarifas e obter um sistema mais justo.

A Coopersul buscava, desde 2016, a regularização, que é uma exigência do governo. A entidade funciona, na atualidade, na condição de autorizada. Após a mudança, deverá repassar relatórios periódicos de valores e custos para a Agência. Através da documentação, justificará o motivo de seus custos em relação à CEEE, que atua como sua entidade supridora, o que permitirá a entidade receber subsídio da Aneel para a nivelação dos valores.

Uma exigência do órgão nacional é que a Coopersul passe a oferecer, unicamente, o serviço de distribuição de energia. Isso, possivelmente, acarretará na terceirização de algumas atividades realizadas pela entidade, assim como na desativação de alguns setores, como a fábrica de postes e a oficina de manutenção, o que deve diminuir as despesas. A Agência também ficará encarregada de ressarcir os associados quando houverem cortes nos serviços da companhia.

A Coopersul é responsável pelo abastecimento elétrico das casas de aproximadamente 5,8 mil famílias da região, compreendendo cerca de 1,7 mil quilômetros de rede. Há 45 anos, abastece todo o território de Aceguá, 95% de Hulha Negra, 40% de Candiota (na região da localidade de Seival) e 5% de Bagé. 

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...