ANO: 25 | Nº: 6382
08/06/2019 Cidade

João Roschildt lança seu primeiro livro na segunda-feira

Foto: Antônio Rocha

Professor da Urcamp selecionou 80 textos
Professor da Urcamp selecionou 80 textos

Nas quintas-feiras, desde 2016, João Roschildt divide com os leitores do Jornal MINUANO suas palavras e sua visão de mundo. Suas colunas, agora, também compõem o livro-coletânea “A grama era verde”, que será lançado na próxima segunda-feira.

O autor, advogado e professor do curso de Direito da Urcamp, desde 2012, relata que a ideia do livro surgiu a partir de questionamentos dos próprios leitores. Roschildt selecionou 80 dos mais de 160 textos já publicados e o material foi separado por eixos temáticos como educação, política, intelectuais e agenda progressista. Além disso, a obra conta com introdução de 15 páginas e prefácio escrito pelo ex-orientador de mestrado do autor. “Separei desta forma para manter uma ideia de coesão entre cada um dos temas”, explica.

E uma das primeiras coisas que chama a atenção do público é o título. O autor explica que a escolha foi pensada, justamente, para incitar a curiosidade do leitor, parafraseando um dito de G. K. Chesterton (escritor, poeta, filósofo e jornalista inglês). “Ele falou que chegaria uma época em que dizer que o triângulo é figura de três lados, que vaca tem chifre, que dois e dois são quatro ou que a grama é verde seria um absurdo. Ou seja, dizer o óbvio seria uma coisa agressiva para a sociedade. A minha proposta com o livro é esta: dizer o óbvio”, destaca.

Conhecido por admiradores e por leitores com visões de mundo antagônicas à sua posição conservadora, Roschildt também indica a obra para quem não concorda com seu modo de pensar. “Também convido a ler aqueles que não gostam ou concordam com o que escrevo, até para saber o que penso sobre determinados assuntos e poder debater com embasamento”, diz.

Em tempos de polarização política e de pensamento, agravada pela liberalidade sem filtros das redes sociais, Roschildt relembra que seu posicionamento também já lhe rendeu momentos de desconcerto. “Hoje, é muito difundido nas redes sociais que pessoas que pensam à luz do conservadorismo são sujeitos que discriminam, completamente avessos à qualquer perspectiva do social. Já fui tachado de nazista, mas quem me conhece sabe que o nazismo passa longe do meu corpo”, conta.

Com três anos de publicações no Jornal MINUANO e livro prestes a ser lançado, Roschildt destaca que prefere ser visto como uma pessoa que “está fazendo análises sociais com uma visão de mundo para tentar compreender alguma coisa e buscando dizer o óbvio”.

O lançamento acontece segunda-feira, dia 10, a partir das 19h, no Jardim de Inverno da Urcamp. A publicação da primeira obra de Roschildt foi realizada pela EdiUrcamp. Além da Urcamp, o autor deve disponibilizar a obra nas Feiras do Livro de Bagé e de Pelotas, cidade natal do escritor. A obra pode ser adquirida no site www.joaoroschildt.com.br.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...