ANO: 24 | Nº: 6432
24/06/2019 Cidade

Asfaltamento da estrada Bagé-Lavras entra no lote de debates de audiência pública

Foto: Tiago Rolim de Moura

Obra é aguardada há mais de três décadas
Obra é aguardada há mais de três décadas
No último dia 16, o governador Eduardo Leite anunciou um pacote de investimentos em estradas superior a R$ 300 milhões. Deste montante, R$ 2,4 milhões são destinados para a região de Bagé, contudo não inclui no rol de projetos uma das obras mais aguardadas na região da Campanha: o asfaltamento da RSC-473, que liga a Rainha da Fronteira a Lavras do Sul. Para debater o assunto, o deputado estadual Fábio Branco (MDB) articula uma audiência pública para tratar da situação dos acessos municipais nas regiões Sul, Costa Doce e Campanha, entre as quais está incluído o asfaltamento da estrada.
O requerimento da Assembleia foi anunciado pelo Jornal MINUANO. O objetivo é apresentar, neste encontro, o status de cada obra iniciada nessas regiões, o custo atual, o montante necessário para a conclusão, bem como o prazo para que as intervenções sejam finalizadas para o Governo do Estado, associações de municípios das regiões, prefeituras e Câmaras de Vereadores.
Enquanto nenhuma decisão abrange a RSC-473, a reportagem percorreu cerca de 23 quilômetros da estrada para verificar as condições de trafegabilidade na tarde de sábado. Diferente de cenários anteriores, em que automóveis revezavam a passada, desviando de buracos ou poços de lama no meio do trecho, desta vez a estrada estava em boas condições, conforme foi ressaltado pelos próprios motoristas que passavam pelo local.
Carlos Eduardo Budó trafega com frequência pela estrada e conta que já viu todas as situações possíveis: lamaçal que atola os veículos, buracos e, em algumas situações, boas condições para trafegar. O cenário positivo do último sábado deve-se a uma operação de patrolamento na estrada, desenvolvida pouco antes do início do feriadão, segundo informou Budó.
Apesar de nunca ter ficado empenhado na RSC, com pneus furados ou com o veículo atolado, Budó não expressa otimismo quando o assunto é o asfaltamento da estrada. "São mais de 50 anos esperando asfaltar essa estrada e nunca fizeram nada, só promessa. E de promessa já estou cheio". diz.
O pensamento é similar ao do motorista de caminhão Luiz Eduardo Lucas Batista. Ele relata que já fez o trajeto da estrada de caminhão, carro, moto, bicicleta, a pé e até de trator e consegue relembrar as situações em que a estrada não apresentou nenhum desafio aos motoristas. "Agora até que está bom, mas quando chove piora muito", garante.
Batista compartilha do pensamento de Budó e relata que também não acredita no asfaltamento da estrada, a menos que a estrada saia da jurisdição estadual. "Enquanto for responsabilidade do Estado, nunca vão asfaltar. Acho que isso só vai acontecer se algum dia federalizarem a estrada", destaca.
A operação de patrolamento e as boas condições de trafegabilidade podem enganar os motoristas de primeira viagem como Ruani Meirelles. Motorista baseado em Piratini há quase um ano, ele fez sua primeira viagem pela RSC-473 na tarde de sábado e declarou: "Eu achei a estrada boa, comparada com as outras por onde passo. Aqui parece até asfaltado", garante.
A obra de pavimentação prometida pelo governo do Estado chegou a ser iniciada em 2012, mas foi paralisada logo em seguida, em dezembro do mesmo ano. Desde então, vários foram os recomeços e paralisações da obra, que previa entrega dos 22,7 km do primeiro trecho para dezembro de 2013.

 

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...