ANO: 26 | Nº: 6587
06/07/2019 Cidade

Lei que obriga empresas a cobrar por sacolas plásticas no Uruguai atinge Aceguá

Foto: Mário Pereira/Especial JM

Clientes preferem sair com compras na mão para não pagar por embalagem
Clientes preferem sair com compras na mão para não pagar por embalagem

por Mário Pereira
Acadêmico de Jornalismo da Urcamp

Para estimular a conscientização da sociedade sobre o malefício que as sacolas plásticas trazem ao meio ambiente e incentivar uma mudança de hábito no consumidor, o governo do Uruguai implantou, desde segunda-feira, dia 1º, um Decreto de Lei que obriga as empresas a comercializarem sacolas plásticas. Segundo a legislação, o custo para os consumidores finais deverá estar em torno de quatro pesos uruguaios (cerca de R$ 0,50).

O decreto regulamentar da Lei nº 19655 acrescenta que, entre outras coisas, as sacolas fabricadas no país ou importadas devem ser elaboradas com materiais biodegradáveis e deverão estar identificadas com o logotipo de certificação do Laboratório Tecnológico do Uruguai (Latu). O dinheiro arrecadado deve ser destinado para campanhas de conscientização.

Em Aceguá, os free shops uruguaios já estão cobrando pela embalagem. E a diferença já está sendo notada. Muitos são os consumidores que estão preferindo sair com as compras na mão para não pagar pelas sacolas. Segundo o gerente do Duty Free America (DFA) de Aceguá, Raul Figueredo, a loja começou a cobrar pelas sacolas no dia 1º, como previa Lei.

O diretor de Meio Ambiente do Ministério de Vivienda, Ordenamiento Territorial e Meio Ambiente, Alejandro Nário, informou que a aposta é gerar uma mudança cultural no uso de materiais poluidores e reduzir drasticamente o uso de sacolas plásticas. "Para isso, trabalhamos, desde o ano passado, em campanhas de conscientização e informação", disse em divulgação oficial do governo.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...