ANO: 26 | Nº: 6528
19/07/2019 Cidade

Julho Amarelo alerta para prevenção de hepatites virais

Foto: Reprodução JM

Campanha, em Bagé, terá Dia D em 31 de julho
Campanha, em Bagé, terá Dia D em 31 de julho

No mês de conscientização sobre as hepatites virais, a Secretaria de Saúde e Atenção à Pessoa com Deficiência de Bagé, por meio do Serviço de Atenção Integral à Sexualidade (Sais), realiza diversas atividades nas unidades de saúde, com objetivo de intensificar a prevenção e o controle. No município, aproximadamente 800 pacientes fazem tratamento para Hepatite C, no Sais.
A Campanha Julho Amarelo faz referência ao 28 de julho, data escolhida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para a celebrar o Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais. Nesta sexta-feira (19), o presidente do Grupo de Apoio aos Portadores de Hepatite (Gaph), Luiz Carlos Porcellis, esteve na Secretaria de Saúde para tratar sobre as ações de mobilização das equipes da pasta sobre a Campanha do Julho Amarelo. Porcellis foi recebido pela chefe de gabinete, Deise Quadros, pela coordenadora da Enfermagem, Liliani Gasparoni, e pela a coordenadora da Atenção Básica, Anelise Lins.
O Dia D será na quarta-feira, 31 de julho, na praça Silveira Martins, das 13h às 17h. Haverá ação educativa com distribuição de preservativo, profissionais de saúde orientando a população sobre a doença, testes rápidos e imunização contra hepatite B para todas as idades. "Lembrando que será feita a primeira dose. As demais doses devem ser realizadas em datas posteriores na unidade de saúde mais próxima à residência", ressalta a coordenadora municipal de Imunizações, Tatiana Miranda.
A vacina é uma forma de prevenção contra as hepatites do tipo A e B. Quem se vacina para o tipo B, se protege também para hepatite D. A vacina está disponível, gratuitamente, no Sistema Único de Saúde (SUS). Para os demais tipos de vírus não há vacina e o tratamento é indicado pelo médico.
Segundo o secretário de Saúde, Mário Mena Kalil, um dos objetivos da campanha é reforçar as iniciativas de vigilância, prevenção e controle, alertando sobre as formas de prevenção e a importância do diagnóstico precoce. "As ações de combate às hepatites virais são realizadas na rotina diária da rede. No mês de julho, o trabalho está sendo reforçado para alertar a população sobre a gravidade da doença e a importância das medidas de prevenção que estão disponíveis de forma gratuita nas Unidades de Saúde", destaca.

Programação nas Unidades de Saúde
Floresta: de 19 a 26/07 haverá entrega de material informativo na sala de espera para a comunidade, com informações sobre as hepatites virais;
São Bernardo: Dia 24, as 15h, roda de conversa sobre hepatites virais na sala de espera dia e oferta de testes rápidos;
Dois Irmãos: Dia 25, no período da manhã, haverá uma roda de conversa na sala de espera sobre hepatites virais;
Popular: Dia 25, conversa na sala de espera e oferta de testes rápidos durante o período da tarde.
Ivone: Dia 29, no período da tarde, será realizada uma roda de conversa sobre hepatites virais com a distribuição de material informativo e também a realização de testes rápidos.
Morgado Rosa: Dia 31, roda de conversa sobre hepatites virais e oferta de testes rápidos durante todo dia.

Hepatite em números
Segundo o Ministério da Saúde, milhões de pessoas no Brasil são portadoras do vírus das hepatites B e C e não sabem, correndo o risco de evoluírem para a doença crônica, cujas consequências mais graves são a ocorrência de cirrose ou câncer hepático. O Brasil registrou 40.198 casos novos de hepatites virais. O Boletim Epidemiológico 2018 informa que os casos da doença são mais recorrentes em homens de 20 a 39 anos.

Doença silenciosa
A hepatite consiste na inflamação do fígado. Nem sempre as hepatites apresentam sintomas, porém, os mais comuns são olhos e pele amarelados, cansaço, febre, mal-estar, tontura, vômitos, dor abdominal, urina escura e fezes claras. Os tipos mais comuns são causados pelos vírus A, B e C.

Transmissão
Hepatite B: É transmitida pelo sangue e/ou nas relações sexuais sem preservativo. É possível contrair a doença por meio do compartilhamento de objetos como agulhas e seringas, lâminas de barbear, materiais cirúrgicos e odontológicos, materiais de manicure sem adequada esterilização ou por meio de materiais para confecção de tatuagens e colocação de piercings.
Hepatite C: É transmitida pelo sangue, uso de drogas com compartilhamento de seringas, agulhas e canudos de inalação e materiais perfurocortantes contaminados. Quem recebeu transfusão de sangue e/ou hemoderivados antes de 1993 deve fazer o teste.

Com informações da Secretaria de Saúde de Bagé

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...