ANO: 26 | Nº: 6590
31/10/2019 Cidade

Advogado em casos de repercussão nacional palestra para o curso de Direito da Urcamp

Foto: Sharon Maia/EspecialJM

Jader Marques ficou conhecido por atuar em julgamentos da Boate Kiss, do menino Bernardo e do goleiro Bruno
Jader Marques ficou conhecido por atuar em julgamentos da Boate Kiss, do menino Bernardo e do goleiro Bruno
por Távisson Esteves
Acadêmico de Jornalismo da Urcamp

Mais de 350 alunos, professores e profissionais formandos da área do Direito prestigiaram, na quarta-feira, 29, o segundo dia de atividades da Semana Jurídica da Urcamp. O encontro reuniu três renomados profissionais da área do Direito Criminalista de defesa no país, os advogados Richard Nogueira, Marco Antônio Scapini e Jader Marques, este último conhecido por atuar na defesa de casos de grande repercussão no Brasil, como o assassinato do menino Bernardo Boldrini e o incêndio da Boate Kiss, de Santa Maria.
O primeiro a palestrar foi o professor doutor Richard Nogueira, com o tema "Advocacia no Tribunal do Júri". Nogueira contou que existe uma violência velada em cima do trabalho de advogados que atuam na defesa de casos criminais. "Aos que têm a vontade de atuar nesta área específica do Direito, é necessário conhecer seus limites e saber que haverão enfrentamentos desleais, mas que, acima de tudo, estarão exercendo um papel muito importante na sociedade, o do cumprimento da lei", afirma. Em seguida, o também professor doutor Marco Antônio Scapini, continuou com a palestra "Os desafios da Advocacia Criminal em tempos obscuros", onde pontuou como um dos principais problemas no respeito da atuação do profissional de defesa, a falta de conhecimento na diferença entre direitos e Justiça.
A fala mais aguardada da noite, do advogado, professor, doutor e fundador da Escola de Criminalistas, Jarder Marques, trouxe a apresentação "A Arte da advocacia criminal artesanal", que, de forma diferenciada, buscou a interação com toda plateia. Para ele, é preciso realizar todos os dias um exercício de auto reflexão. "Quem sou eu, o que estou fazendo no curso de Direito e quais são meus anseios, só assim teremos certeza de que não seremos só mais um profissional da defesa. Seremos o diferencial", destaca.
Para o responsável da comissão organizadora da 40ª Semana Jurídica, Rafael Moreira, a importância da presença destes palestrantes é devido à qualidade e à tradição que o curso de Direito da Urcamp proporciona. "Não são muitos cursos do Rio Grande do Sul que possuem esta continuidade em relação a edições de Semanas Jurídicas", conta.
Heron Ungaretti Vaz, coordenador do curso de Direito na Urcamp, fala que 2019 é um ano especial, no qual o curso completa 50 anos de atuação e formação de profissionais da área. "Nossos desafios são proporcionar diferentes visões, e parte disto se concretiza trazendo figuras importantes da área para estes encontros com nossos acadêmicos", explica.
A aluna do 10º semestre do curso, Luma Costa, avalia positivamente a troca de conhecimento dos profissionais na realização desta Semana Jurídica. "Jader Marques é um grande advogado gaúcho. Conheço suas atividades no âmbito jurídico nacional e poder ouvir seus conselhos e histórias é uma oportunidade sem igual", e completa: "ele incentiva muito os estudantes na advocacia, é um diferencial que atrai".

Entrevista

JORNAL MINUANO: O que te trouxe a Bagé para a 40ª Semana Jurídica do curso de Direito da Urcamp?
JADER: Primeiramente, é uma alegria estar presente, principalmente no ano de aniversário de 50 anos do curso, que é um marco na região toda. A professora Lourdes (Martins) me fez o convite há muito tempo, e conseguimos acertar nossas agendas para que fosse possível estar aqui hoje junto dos meus colegas Richard Nogueira e Marco Antônio Scapini.

JORNAL MINUANO: O que foi discutido na noite de palestra com os alunos e professores?
JADER: Viemos debater a questão da advocacia criminal, que é, sem dúvida, um dos segmentos da área do Direito que está em destaque na sociedade, como as operações da Lava a Jato, decisões do Supremo Tribunal Federal (STF), prisões em segunda instância, pacote anti crime do Juiz Sérgio Moro e a prisão do ex-presidente Lula. Assuntos que movimentam o cenário nacional e as opiniões populares. Entretanto, na visão dos advogados criminalistas, em que, na maioria das vezes, recaem visões negativas em cima destes profissionais de defesa.

JORNAL MINUANO: Em seu artigo na Zero Hora, "No do Tribunal do Júri ninguém ganha", sua visão da Escola de Criminalistas está presente?
JADER: Sou fundador da Escola, junto com meu pai Bráulio Marques, já falecido, mas que deixou esta ideia de atuação, em que privilegiamos o estudo da prática orientada por uma boa técnica jurídica. Especialmente levando em consideração o lado do ser humano num processo criminal, que de um lado temos o acusado, e no outro, vítimas. É um local onde o drama humano está presente, então, não há vencedores, o respeito pelas dores, dos dois lados, precisa ser preservado, portanto, não há vencedores. Esta é nossa certeza.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...