ANO: 26 | Nº: 6590
01/11/2019 Cidade

Concessão de prédio que irá abrigar fábrica de glóbulos inertes é renovada por mais um ano

Foto: Tiago Rolim de Moura

No local, serão fabricadas bolinhas de açúcar para a utilização na homeopatia
No local, serão fabricadas bolinhas de açúcar para a utilização na homeopatia

A obra do prédio que irá abrigar a fábrica de glóbulos inertes (bolinhas de açúcar que são utilizadas para remédios homeopáticos e também para confeitos), do Uruguai, em Bagé, está pronta para iniciar as operações. A estrutura, localizada na avenida Santa Tecla, nº 2.780, nos fundos da Casa do Produtor, teve, no início de outubro, a concessão de uso ampliada para mais um ano. Para dar início às atividades, a empresa, porém, ainda depende de habilitação do Conselho Regional de Farmácia.
A reforma iniciou em abril de 2018, no imóvel cedido pela Prefeitura, com a finalidade fomentar a produção de glóbulos inertes, utilização na fabricação de remédios, produtos homeopáticos, confeitos e demais derivados da sacarose. O espaço foi todo remodelado, dentro das normas da Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs), e o projeto teve que passar por várias mudanças. O prédio conta com depósitos, cozinha, repartição para o maquinário, embalagens, laboratórios e escritórios.
Conforme um dos sócios e administrador do empreendimento, Álvaro Molinari, o produto é incluído no rol de medicamentos e, por isso, depende da habilitação do Conselho. “Houve uma mudança diretiva e, agora, a solicitação deve ser apreciada”, disse. Molinari ressalta que, após a liberação, a documentação será encaminhada para a Cevs e para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
Após o início dos trabalhos, a empresa deve gerar oito empregos diretos, mas a ideia é, de acordo com a demanda, ir aumentando a produção e, futuramente, em outro espaço, produzir produtos diversificados, como balas. A empresa já atua no Uruguai e Argentina e está abrindo novos mercados para o Paraguai, Bolívia e Chile. Os empresários irão produzir, em Bagé, e o depósito dos produtos ficará em Porto Alegre. A meta é iniciar com 20 mil quilos e aumentar gradativamente para 100 mil quilos mensais.
No Brasil, a empresa, que atua há mais de 100 anos no Uruguai, com a fabricação de doces e balas, irá se chamar Jeito Ltda. Fábrica de Produtos Derivados do Açúcar. A ideia de fabricar glóbulos começou há cerca de oito anos, após um estudo de mercado. Conforme Molinari, o Uruguai consome 500 quilos ao mês, enquanto, na Argentina, são 30 mil por mês. A expectativa, para o Brasil, é de 90 mil por mês.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...