ANO: 26 | Nº: 6543
27/11/2019 Cidade

Estudante de violino é selecionado para a disputada Escola de Música da Ospa

Foto: Tiago Rolim de Moura

Adolescente vai ocupar uma das quatro vagas disponíveis para jovens estudantes
Adolescente vai ocupar uma das quatro vagas disponíveis para jovens estudantes

Aos 10 anos, Érico da Silva Pires descobriu o que gostaria de fazer e a carreira que pretendia seguir para o resto da vida e vem praticando e se esforçando para atingir este objetivo desde então. O empenho em tocar violino da melhor forma possível é tamanho que, agora, aos 13 anos, o jovem foi selecionado para a concorrida Escola de Música da Orquestra Sinfônica da Porto Alegre – Ospa.

O jovem foi selecionado, entre mais de mil candidatos, para aperfeiçoar as técnicas na escola, ocupando uma das quatro vagas oferecidas. Mas desde os primeiros acordes até a preparação para a seleção, foi acompanhado pelo professor Guilherme Cassão Marques Bragança, responsável pelas aulas do jovem no Instituto Municipal de Belas Artes (Imba) há três anos. As aulas devem iniciar em março.

Bragança conta que o preparo para a seleção levou cerca de dois meses. Ao saber que a avaliação seria feita com base na performance de uma peça livre, decidiram ousar e apresentar um concerto. Assim, os avaliadores foram apresentados ao talento de Pires através da execução do concerto para violino Op 36 em Ré Maior, de Oskar Rieding. “Em três anos de estudo ele mostrou um avanço, um desenvolvimento muito grande. E agora ele vai para a Ospa, onde vai ter aulas com os maiores músicos do nosso Estado”, aponta o professor.

As aulas da Escola da Ospa acontecem uma vez por semana, em Porto Alegre. O jovem vai buscar apoio na escola regular que frequenta, para ser dispensado durante os dias de aula na Ospa, e auxílio de transporte para ele e um dos pais, já que é menor de idade e não pode viajar desacompanhado. Tímido e de poucas palavras, estudante do 7º ano da Escola Estadual Silveira Martins e também dedicado ao estudo de teclado e contrabaixo elétrico, Pires conta que dedica, no mínimo, uma hora de estudo e prática de violino diariamente.

Buscando um futuro de reconhecimento na área, o jovem já iniciou a carreira artística com o auxílio de Bragança. “Desde os 12 anos ele me substitui, tocando nas recepções de formatura. Hoje em dia nem me ligam mais, ligam direto para ele”, brinca.

“A gente dá a base e depois o mundo é deles. O Érico sempre mostrou um grande talento, tanto nas aulas práticas quanto teóricas, sempre gabaritando as provas e isso ficou ainda mais visível agora, com esse resultado”, destaca Flávio Dutra, diretor do Imba.

A instituição

A escola é gratuita e tem como público-alvo crianças e jovens de 8 a 25 anos. Trata-se da única instituição de ensino voltada para a formação de músicos de orquestra no Estado, oferecendo a estudantes de baixa renda a oportunidade de profissionalização na área. Suas ações educativas também interferem na formação de ouvintes, cumprindo um papel importante na democratização da educação e cultura no Rio Grande do Sul.

As aulas são ministradas pelos próprios músicos da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, nas seguintes modalidades: violino, viola, violoncelo, contrabaixo, flauta transversal, oboé, clarinete, fagote, trompa, trompete, trombone, tuba e percussão.

Entre os ex-alunos da instituição, estão o diretor artístico da Ospa Evandro Matté, o contrabaixista Walter Schinke, o violinista Elsdor Ricardo Lenhart, o fagotista Adolfo Almeida Jr., a soprano Carla Maffioletti, o contrabaixista Milton Masciadri, o maestro Antonio Borges-Cunha, e o contrabaixista Zé Natálio, integrante da banda Papas da Língua.

 

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...