ANO: 26 | Nº: 6540
01/05/2020 Cidade

Médico bajeense, André Kalil anuncia autorização do uso de Remdesivir em pacientes com covid-19

Foto: Reprodução JM

Globo News
Globo News
Nesta sexta-feira, dia 1º, o medicamento Remdesivir foi aprovado em modo rápido pelo FDA, órgão equivalente à Anvisa, nos Estados Unidos, para uso no tratamento de pacientes com diagnóstico de covid-19.
Em entrevista à CNN Brasil, GloboNews e Jornal Nacional, o principal pesquisador do medicamento para tratar Covid-19, o médico bajeense André Kalil, que liderou os testes com a medicação, falou sobre esse, que é considerado um grande passo contra o vírus.
Kalil contou que o dia 1º de maio foi um dia importante. "É o começo, que mostra que existe uma esperança. E que uma medicação vai poder trazer de volta as pessoas com Covid em uma situação mais grave, já que muitas morrem ou ficam no hospital por muito tempo. Estou contente pelo fato que temos, hoje, uma terapia mais eficaz e segura que possamos administrar em  nossos pacientes. Mas, o mais importante, é que continuemos firmes nessa batalha (..) É o momento de união, aqui nos Estados Unidos, no Brasil, e em outros países. Não pode haver divisão, precisamos estarmos unidos (...) Só tem uma maneira de derrotarmos esse vírus: é através de estudo, da ciência e da união. Essa é a mensagem que passo ao Brasil, à minha família e amigos", concluiu o médico, em entrevista ao vivo à CNN Brasil, por volta das 19h30min.

Já o repórter da Globo News, entre outros assuntos, perguntou a Kalil sobre aglomerações.  "Elas são um perigo, pois quando mais próximos a gente ficar, maior a probabilidade que esse vírus vai passar de uma pessoa para a outra. Isso é fato. Nos EUA, estamos evitando o máximo que se pode, o deve ser assim também no Brasil. Não só as aglomerações quanto o isolamento social, esse processo todo precisa ser individualizado. Aqui, cada Estado está tomando uma decisão para as medidas  de isolamento,  que deve ser diferente de uma região ou de uma cidade para outra, para que dessa forma possa abrir a economia ou fechar, de acordo com a extensão da infecção. Para detectar onde está a infecção e o vírus  é preciso fazer mais testes, mas ainda não estamos no nível da detecção  ideal. A minha recomendação, nesse momento, em qualquer país, é que a aglomeração vai favorecer a disseminação do vírus", concluiu.

O Remdesivir é um medicamento antiviral administrado por via intravenosa e previamente testado como tratamento para o ebola. É um dos tratamentos experimentais para o Covid. O inicio dos testes foi liderado pelo bajeense e realizado com os tripulantes do Cruzeiro Diamond Princess, contaminados pelo coronavírus, em fevereiro deste ano.
A pesquisa de Kalil, unida a outros estudos, conforme divulgado até então, testou 500 pacientes e chegou à conclusão que o medicamento diminuiria o tempo de internação de pacientes com a Covid-19 de 15 para 11 dias.

 

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...