ANO: 26 | Nº: 6555
01/08/2020 Cidade

Linhas de crédito e negociações diretas mantêm setor imobiliário aquecido

Foto: Tiago Rolim de Moura

Setor se adequou ao novo cenário e implantou alternativas de negociação
Setor se adequou ao novo cenário e implantou alternativas de negociação

Mesmo em tempos de pandemia, que afetou a saúde e economia no país, com queda de empregos, renda e faturamento em diversas atividades, o setor imobiliário se manteve aquecido. Estratégias de venda, linhas de crédito com juros baixos e plataformas digitais auxiliaram na manutenção do setor, que consegue vender e locar imóveis.

Conforme o corretor de imóveis e advogado Nilson Wild, o início da pandemia trouxe algumas incertezas para o setor, devido ao medo das pessoas, mas, gradativamente, com incentivos do governo federal, financiamentos com taxas mais baixas, parcelas prorrogadas, fez com que o setor tivesse uma reação positiva.

Wild salienta que a venda de imóveis está aquecida e as pessoas estão buscando financiamentos dentro de suas realidades financeiras. A venda de imóvel na planta foi uma das principais alternativas dos clientes, que auxiliaram a manter o mercado aquecido. “Está é uma nova realidade e facilita para o cliente”, informa

O corretor salienta que houve uma pequena redução nas locações comerciais, principalmente de prestação de serviço e micro empresas. “As pessoas entraram em pânico e se precipitaram”, disse. Porém, ele ressalta que, logo em seguida, houve a procura por imóveis com locações mais baratas e que suprissem a necessidade do locatário.

Para Wild, o auxílio emergencial concedido pelo Governo Federal teve reflexos positivos, injetando na economia bajeense cerca de R$ 12 milhões e, com isso, muitas pessoas conseguiram pagar o aluguel. “Mesmo dentro da crise, sempre existe benefícios. As pessoas estão se acostumando à nova realidade”, avalia.

Plataforma digital

Outra forma encontrada para vencer a crise e o distanciamento social foi a utilização de plataformas digitais para as negociações. O corretor de imóveis Ademir Souza garante que a medida foi positiva para o setor. “Hoje, quase toda a negociação e até visita nos imóveis é realizada através de forma on-line”, salienta.

Souza lembra que, na primeira semana da pandemia, quando foi fechado o comércio, houve uma queda na procura. Logo em seguida, os colaboradores da imobiliária passaram a atender e realizar as negociações em home office e, assim, houve uma divulgação forte nas redes sociais da empresa para a retomada virtual. “Não chegamos a parar e logo em seguida voltou a reagir”, afirma.

Outra medida benéfica, segundo o empresário, foi a negociação de aluguéis comerciais, descontos e prorrogação de prazos. Também, em alguns imóveis que estavam acima do valor de mercado, foi necessária a flexibilização por parte dos proprietários. “Isso auxiliou para que não houvesse a desocupação dos imóveis e as vendas fossem impulsionadas”, garante.  

O corretor ressalta que conseguiu bater as metas internas e frisa que as imobiliárias voltaram a ter força ao atuar de maneira a aproximar os clientes dos proprietários.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...