ANO: 23 | Nº: 5813

Dilce Helena dos Santos

dilcehelenapsicologa@gmail.com
Psicóloga
18/04/2017 Dilce Helena dos Santos (Opinião)

O amor lata de lixo

O amor lata de lixo é aquele amor acomodado, que não precisa cuidar os modos, os gestos.

Não é preciso medir as palavras, pois a pessoa é tão íntima, tão querida, tão "especial" que é óbvio que ela vai entender. Afinal de contas é seu amor e isso, por si só, já é tão importante e grandioso que ela ou ele deve ser grato ao universo apenas por isso e não esperar grandes cuidados com seus sentimentos.

O amor lata de lixo reserva à pessoa amada toda a sua honestidade e sinceridade, não filtrando nada que passe por sua mente, nada que esteja sentindo deve ser poupado, tudo é lançado direto ao alvo, a lata de lixo, pois o alívio é grande, afinal quem já viu uma lata de lixo devolver o que nela foi depositado?

Então, ali se lançam frustrações, agressões, irritações, impulsos, palpites e opiniões, tudo na forma que surge, sem constrangimento ou qualquer medo que isso possa causar de ferimento.

Quem cultiva o amor lata de lixo acalenta a ilusão de que o ser amado sente-se profundamente amado e valorizado por seus gestos de compartilhamento de verdades e opiniões. Mal consegue avaliar que muitas vezes o coração de sua latinha de lixo está cheio de remendos...

Geralmente quem tem esse tipo de amor não acredita que esteja errado, prefere crer que a verdade prevalece como um bem supremo e isso é uma virtude, afinal deveria fazer o quê? Mentir?

Não lhe passa pela cabeça segurar por breves momentos seus sentimentos e ponderar se o momento é adequado, se vai magoar, ou quem sabe até, pasmem, cogitar se estaria errado. Mas essa pessoa jamais toleraria ser tratada da forma como age com seu amor lata de lixo. Esta é sua maior incoerência, mas não consegue perceber, pois é seu ponto cego e pontos cegos são aqueles que só podemos ver com a ajuda de outra pessoa.

E para receber ajuda é necessário pedir, mostrar fragilidade, solicitar ou admitir que necessita. Isto pode ser um bom começo para mudar esta atitude tão devastadora dos bons relacionamentos.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...